Buscar
  • GABRIEL PASCHOALINO

O efeito do foco atencional na economia de corrida

É comum se deparar com situações em que você presta atenção na maneira como seu corpo e membros estão se deslocando enquanto corre. ‘’Postura ereta, braços e pernas alternando, cuidado com a posição do pé de aterrissagem, joelhos e tornozelos alinhados...’’ Ufa! Quanta coisa pra se atentar!


Além disso, orientações vindas dos treinadores como ‘’preste atenção em sua respiração’’, ‘’respire fundo’’ também são frequentemente observadas durante a prática de corrida.

Mas afinal, o que pode se esperar da economia energética de corrida ao focar a atenção em determinado aspecto em detrimento de outro? Foi o que Schücker e colaboradores investigaram no estudo a seguir (spoiler: resultados interessantes para qualquer praticante de corrida).


Na área de estudo do controle dos movimentos (Controle Motor), o efeito deletério de focar a atenção internamente enquanto executa qualquer habilidade motora (chutar, agarrar, correr) é um resultado frequentemente replicado. A partir disso, Shücker e colaboradores (2009) se questionaram se esse efeito também é observado em variáveis fisiológicas (consumo de oxigênio) durante exercícios de endurance, como a corrida.


Os autores examinaram se o foco atencional - a maneira como se presta atenção nos estímulos externos ou internos – poderia influenciar a economia de corrida, medida através do consumo de oxigênio (ml de O²/min) em uma velocidade pré-determinada.

Corredores experientes foram solicitados a se atentarem a três diferentes aspectos enquanto corriam em uma esteira: durante três blocos de 10 minutos, eles deveriam se concentrar em 1) movimento da corrida, 2) respiração e 3) ambiente ao redor. O consumo de oxigênio foi comparado entre as três condições.


Os resultados do estudo mostraram que a maior economia de corrida ocorreu enquanto os corredores focaram a atenção no ambiente ao redor. Veja na variável VO² que o menor valor de consumo (2776 ml/min) ocorreu enquanto os corredores focavam a atenção nos arredores, seguido da atenção no movimento da corrida (2895 ml/min) e, por último, na respiração (3036 ml/min).




Ok, Gabriel, e o que isso pode nos dizer?

Monitorar sinais corporais e ajustar os recursos disponíveis adequadamente pode ser benéfico especialmente para exercícios de endurance de longo termo. Contudo, em linha com teorias de controle consciente (Masters & Maxwell, 2008), ao focar a atenção em aspectos internos na tentativa de controlá-los conscientemente pode gerar uma quebra na automaticidade dos processos motores (modo como o cérebro percebe, organiza e executa movimentos).

Essa quebra na automaticidade, além de afetar o desempenho cognitivo-motor, também mostrou efeito sobre o desempenho fisiológico, como observado no presente estudo. Tentar controlar conscientemente (e constantemente) seus movimentos na corrida, sejam respiratórios ou de locomoção, provavelmente aumentará seu consumo de oxigênio.

Considerações importantes:

- Enquanto que, em competições, corredores sempre buscam o máximo de economia, durante os treinos é desejável que haja um estado menos econômico, estimulando maiores benefícios. Use isso a seu favor.

- Os intervalos utilizados no estudo são expressivamente menores que treinos e provas de longa duração, por isso os resultados devem ser considerados com cautela.


E aí, o que achou desse estudo?

Muitas dúvidas?

A partir de agora vai usar o foco de atenção a seu favor?

Comente aqui para sabermos!!!


Referências:

Linda Schücker , Norbert Hagemann , Bernd Strauss & Klaus Völker (2009): The effect of attentional focus on running economy, Journal of Sports Sciences, 27:12, 1241-1248.

Masters, R. S. W., & Maxwell, J. P. (2008). The theory of reinvestment. International Review of Sport and Exercise Psychology, 1, 160–183

37 visualizações0 comentário